sábado, 30 de abril de 2016

Observando os Astros – Dia do Trabalho

         Dois dias observando os Astros – 
Dia do Trabalho 
     Prezados/as estudiosos/as da velha Dama Astrologia em seus movimentos celestes, um convite para olhar o Firmamento com o olhar dos antigos sábios do Oriente; a Mesopotâmia.
     Um mergulho como observavam o céu na Pérsia; Suméria, Assíria, Babilônia e Caldeia. Privilégio a ser repartido com outra civilização, o Egito. Tempo sem relógios, tempo de construções de observatórios e anotações a olho nu gravadas em tabletes de terracota.
     Com recursos da tecnologia, desenvolvida por cientistas astrônomos, físicos e matemáticos contemporâneos, podemos traçar Mapas Astrológicos com rapidez e apreender o significado simbólico dos Astros em seu movimento diário, percorrendo os signos do Zodíaco (não confundir com as Constelações).
     Como é bela a visão celeste em sua infinitude e grandeza cósmica, seja em sua realidade física, seja em sua simbologia metafísica!
     Convido aqui observar o movimento celeste, em 48 horas, a partir de hoje, 30 de abril, dia 1 de maio - Dia do Trabalho - até 2 de maio de 2016 (do ponto de vista da cidade do Rio de Janeiro, Brasil, onde resido). Olhar os elementos por onde caminham os Astros, os aspectos entre eles. A potência do macrocosmo atuando nas moléculas do microcosmo.

   
 clicar - observar MAPAS

São dois dias para reflexões profundas. Não escrevo interpretações em jargão astrológico. Cada estudioso que faça as suas interpretações, registrem ou converse com seus pares se assim desejar. Apenas convido a olhar o Firmamento, o Céu Astrológico, em sua magnitude do Oriente ao Ocidente. O Céu e a Terra interagindo com precisão e liberdade criadora.


    “A liberdade é mais forte que todo o ritmo do Universo”
 Pierre Secondi o.p.
        martha pires ferreira 30/abril/2016

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Elogio da Loucura - Erasmo



Elogio da Loucura - Erasmo de Roterdã - 
Li esta obra em 1962, data neste livrinho precioso,
 um dos meus clássicos. Reli algumas vezes.        

Tempo de espetáculos grotescos e discórdias, ódios em díspares pensares, me dirijo para outras instâncias. Faço como autores que me foram caros, me formaram. Um deles Erasmo, meu amor (1469-1536).
" Ninguém pode escolher os próprios pais ou a pátria,
 mas cada um pode moldar sua personalidade pela educação"

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Cronos - Saturno - o deus devorador



Mitologia é riqueza simbólica. Sempre atual em sua linguagem. CRONOS / SATURNO (pintura/Goya 1821-23). CRONOS devorando o FILHO (devorou um montão). Com quem este deus do princípio do Tempo se identifica/ se assemelha no quadro político atual? Este ser mitológico que tudo devora, inexoravelmente, por medo de perder o domínio do poder? Que tudo atrasa por ambição desmedida querendo reter para si tudo o que não lhe pertence por direito? Quem, no panorama atual, representa esta figura de Cronos?

Mais cedo ou mais tarde, por resistência e frieza implacável, Cronos perde seu status, sem direito de ocupar lugar no Olimpo – Panteão dos deuses. Em guerra titânica Cronos foi enfrentado por seus filhos Zeus, Poseidom, Plutão e todas as forças gigantes que estavam aprisionadas na matéria (liberadas por Urano/o Cosmo). Cronos é destronado, humilhado e levado para o desterro. 
O Mito espelha fatos.
    O jogo não está perdido.

terça-feira, 26 de abril de 2016

"A parcialidade destrói a Justiça" Göran Lambertz


“A parcialidade destrói a Justiça”
palavras do Juiz da Suprema Corte sueca, Göran Lambertz. 
Convocando Zeus, Hera e Palas Atenas - Juízes. 
Precisam dar orientação aos incautos Senadores 
sobre o que é julgamento jurídico; crime de responsabilidade
  dentro dos princípios éticos, da moral cívica.

A presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, pode ser julgada como pessoa com grandes dificuldades em governar (independente de o Congresso dificultá-la a cada momento), e mesmo, ser julgada por erros administrativos. Jamais, o que quer que tenha feito, pode ser configurado como dolo, crime, perante a Constituição/Art. 85.
O próximo passo, agora; discutir a legalidade do crime processual em curso seguido da votação no Senado. Sendo necessários 41 Senadores, maioria simples de 81, para que Dilma seja afastada por 180 dias do cargo que exerce para que o julgamento seja instaurado. Dilma poderá fazer sua defesa. Acontecendo afastamento a nova votação é presidida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal. Numa segunda votação necessária 2/3 dos Senadores para que o Impedimento seja decidido.
Importante dizer que a Comissão instalada terá que analisar as provas e denúncias do crime e elaborar a denúncia – a chamada “denuncia”. Caso seja aceita é que haverá o julgamento com data previamente marcada.
O voto será aberto em plenário.
É de se esperar princípios éticos de Senadores ao analisar imparcialmente, cuidadosamente, qualquer indício de crime no processo de Impedimento da Presidenta Dilma Rousseff. Votar com base e conhecimento jurídico e não com postura política ao dar o parecer final. Confio na dignidade da pessoa humana. Vale o que está na Lei. A interpretação não pode estar sujeita a interesses meramente políticos. Esperança em homens e mulheres, honrados/as em respeito e dignidade perante a Constituição. Posturas do Parlamento que ficarão lavradas nos anais da História.
Zeus, afresco 1532 - Palazzo Mântua Itália.

sábado, 23 de abril de 2016

São Jorge - Viva São Jorge!



Oração de São Jorge – o santo guerreiro

Ó São Jorge, meu Santo Guerreiro, invencível na fé em Deus,
que trazeis em vosso rosto a esperança e a confiança,
abri meus caminhos. Eu andarei vestido e armado com vossas armas
para que meus inimigos, tendo pés, não me alcancem; tendo mãos,
não me peguem; tendo olhos, não me enxerguem;
nem pensamentos possam ter para me fazerem mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, flechas e lanças se quebrarão
sem a meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentarão
sem o meu corpo amarrar. Glorioso São Jorge, em nome de Deus,
estendei vosso escudo e vossas poderosas armas,
defendendo-me com vossa força e grandeza. Ajudai-me a superar todo desânimo
 -mosaico-
e a alcançar a graça que Vos peço (fazer aqui o seu pedido).
Protegei o nosso PETRÓLEO – BRASIL e todas as nossas riquezas nacionais. Que haja melhorias sociais para o povo sofrido, desqualificado, desprotegido. Uma Nação mais igualitária; justa e humana.


Dai-me coragem e esperança, fortalecei minha fé. Rezar um Pai-Nosso.
-Russia-
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

sexta-feira, 22 de abril de 2016

São Jorge - 23 de abril - o guerreiro de cada dia

                             Afresco - Capadócia -Turquia
Extensas informações sobre São Jorge na internet, Wikipédia e mais inúmeras fontes; lendas e histórias de santos. Na Capadócia na capela de Santa Catarina, nichos que são usados para túmulos, possuem afrescos de santos, entre eles São Jorge.
Viva São Jorge o guerreiro de cada dia!

Martha Pires Ferreira (matéria abaixo publicada em 23/4 /2016, aqui no Caderno)

           "São Jorge, o Santo Guerreiro, é venerado tanto na Igreja Romana, quanto na Ortodoxa, na Anglicana e no sincretismo Afro, sendo orixá, Ogum. Santo padroeiro em várias partes do mundo, incluindo extraoficialmente a cidade do Rio de Janeiro. É o padroeiro da cavalaria do Exército Brasileiro. Consagrado na cultura popular, dia 23 de abril, com milhares de devotos seguidores.
           Guerreiro com armadura montado em fogoso cavalo ele empunha uma lança voltada para a boca e domínio de um terrível dragão, tendo uma donzela, representando simbolicamente o aspecto feminino. a Anima, que o inspira. São Jorge representa a batalha tenaz entre o bem e o mal; a força espiritual para vencer as dificuldades de cada dia"
             São Jorge inspirou na música brasileira de Jorge Bem, Fernanda Abreu, Caetano Veloso, Zeca Pagodinho, Moacyr Luz, Aldir Blanc. Romances, novelas, filmes, DVD, bares, cervejarias, botequins. São muitas as homenagens ao grande guerreiro. Este Santo entrou na história popular brasileira, talvez, pela imigração árabe. Está profundamente inserido no imaginário popular como potência capaz de solucionar os mais difíceis problemas. Chama atenção um belo cartaz, na entrada de uma Igreja, onde podemos ler:
“Salve São Jorge! Entre para rezar e saia para servir”.
Azulejos 
          Segundo a lenda São Jorge, nasceu em torno de 275/80 d. C. na Capadócia, Turquia. Com a morte do pai numa batalha, ele ainda menino, foi com a mãe para a Palestina, Lida, onde a família da mãe tinha muitos bens e pode educá-lo da melhor maneira possível. Chegando à adolescência entrou para a carreira das armas, por temperamento, índole. Chegou a ser capitão do exército romano. Com apenas 23 anos exercia na corte imperial, em Nicomédia (Ásia Menos), a função de Tribuno Militar.
         Com a morte da mãe, São Jorge vendo muita crueldade contra os cristãos, parecendo-se e desejoso de alcançar a salvação, distribuiu suas riquezas aos pobres, indo viver na corte do Império romano.
           O imperador Diocleciano havia feito planos para matar todos os cristãos. No dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da assembleia declarando-se contra aquela decisão, e para espanto de todos afirmou que os romanos deviam se converter ao cristianismo. Todos ficaram atônitos ao ouvirem palavras proferidas por uma pessoa da suprema corte defendendo a fé em Cristo e em nome da Verdade. São Jorge se dizia servo do redentor Jesus Cristo, e Nele confiando para dar testemunho da Verdade.
          O imperador tentou fazê-lo desistir da fé cristã, mas ele manteve-se fiel ao cristianismo. Com isso foi torturado de vários modos. Depois de cada tortura, o imperador lhe perguntava se renegaria a Jesus Cristo. Jorge reafirmava sua fé. Seu martírio ganhou notoriedade perante o povo, inclusive a mulher do imperador, que se converteu ao cristianismo. Diocleciano, não tendo êxito, decidiu no dia 23 de abril de 303, degolá-lo, em Nicomédia.
          Já havia dedicadas a São Jorge, cinco igrejas em Constantinopla, no século V. No Egito, logo após sua morte, construíram-se mais quatro igrejas e trinta conventos dedicados ao santo mártir. Na Armênia, em Bizâncio, na Grécia, São Jorge era inscrito entre os maiores santos da Igreja Católica.
Viva São Jorge, guerreiro de cada dia!

Nas laterais a vida do santo / no alto da cabeça está escrito:
  "O grande santo entre os mártires, Jorge Revestido de Glória"  - Ícone do Líbano.

terça-feira, 19 de abril de 2016

A Bomba da Liberdade Humana

   Pensando em Plutão, pensando na humanidade.
Publicado em 6-09-2015 aqui no Caderno Aquariano.
Hoje, 19/4/2016 – posição dos astros - Plutão a 17º28 – Capricórnio. Uranos a 20º58 de Áries.


   “A liberdade é mais forte que todo o ritmo do Universo”.  Frei Pedro Secondi o. p.                    
        Só a Mitologia nos ajuda a ver saídas para a atualidade. Hades/Plutão pertence ao reino inferior - divide seu reino com Tânato, deus dos mortos.  Plutão, Senhor dos infernos, do mundo subterrâneo, sentado aguarda a chegada de Zeus/Júpiter (fins de 2020), o filho excluído e rejeitado, para aliança de batalha feroz; vencer, com justiça, direitos inalienáveis apossados pelo pai Cronos/Saturno, senhor dos poderes da natureza terrena, mas implacável no tempo inexorável.  Pacto celeste de Plutão e das águas e de Uranos, senhor do espaço/firmamento. Confronto entre poderes antagônicos; conciliação entre o céu e a terra. Lugar da verdade e da justiça.
        Os ciclos planetários apontam horizontes. Transformações profundas e radicais de Plutão; fins séc. XVIII; início séc. XVI; meados séc. XIII; início séc. XI e por aí vai até a Suméria, às cavernas. “Tudo estava escrito nas estrelas”, diziam os antigos. Só a racionalidade contemporânea é cega frente aos sinais dos astros. Não se tem uma reverência diante dos mistérios da criação. Vivemos a mercê da bússola da unilateralidade da pseudociência que só reconhece a lógica formal.
        Plutão a 13º04’ de Capricórnio/Terra e Uranos a 19º49’de Áries/Fogo – ângulo de 90º. Imprevisibilidade indica esta quadratura. Quem olha o céu estrelado está acompanhando esta tensão terrível há algum tempo, e, sabe o quanto o termômetro se elevará de temperatura. Metáforas para apreender tendências. De setembro de 2015 até fevereiro de 2016 as portas dos infernos se abrirão largamente. A Humanidade sem conciliação há de gemer na escuridão por longa data. Necessário se recriar o mundo em que vivemos. Darmos um salto quântico.
 Museu Borghese- Plutão e Perséfona

        Saídas possíveis?
        O céu sinaliza; estamos na eminência de um desastre mundial sem proporções. Apreendia/pensava que neste início do séc. XXI, aproximadamente em torno de 2014, iríamos entrar na Era de Aquarius, da solidariedade e harmonia universal. Errei. Estamos longe de harmonia e concórdia entre homens/mulheres e nações. Vivemos em riscos permanentes de fracassos e sem horizontes para a conciliação internacional. Ocidente e Oriente se confrontam sem aparente saída. A Mãe natureza ferida, dilacerada. Perplexos, todos nós acompanhamos as barbáries, os jogos de opostos; os conflitos entre seres e nações.
        Fechados em guetos vivem intelectuais, céticos, espirituais e/ou religiosos com suas ideias, utópicas ou não, isoladas do mundo em sua totalidade. Satisfeitos com fórmulas abstratas de relações culturais e sociais.
        Urgente comunicação mais estreita entre todos; acadêmicos/sectários, cristãos católicos ou protestantes, judeus, hindus, africanos, comunistas, índios e árabes muçulmanos. É preciso comunicação com quem quer que seja que tenha ideologia diferente. Sem uma sincera colaboração mútua frente aos problemas tão graves no coração da humanidade nos destruiremos como civilização, mais rápido do que a sã racionalidade e argumentos lógicos se pretendem assegurar como conflitos passageiros, próprios do segmento da criação. Estamos na porta do Apocalipse, não é pré-cognição. E sim fatos brutais aos nossos olhos perplexos.
        Devemos tentar o diálogo, a comunicação frente ao abismo. Agora, não frente à bomba atômica, o poderio nuclear ou aos mais sofisticados recursos tecnológicos, mas à bomba molecular. A bomba da liberdade humana.
        Lembremos-nos da China, há uns trinta anos, oferecer ao Ocidente cerca de três milhões de degradados frente às pressões internas recebidas do império Norte-americano e nações da Europa. A China calou o Ocidente com a bomba humana. A  África e o Oriente Médio não se calarão diante da desqualificação.
        Nações árabes e africanas foram invadidas, ocupadas, espoliadas, degradadas. Agora vivemos a resposta. Perplexos nós acompanhamos cada passo da tragédia.
        Plutão, o deus do mundo subterrâneo significa simbolicamente, também, a transformação, renovação, ressurreição. Ave Fênix.
        Parece que Plutão, neste momento histórico da humanidade, abre as portas dos infernos. Os demônios estão soltos. Quem é o inimigo? Quem é o adversário? Quem é Caim? Quem é Judas beijando o rosto de Cristo? Quem é cristão que se identifica com o outro Cristo de rosto desconhecido, desfigurado? Em 1964, Thomas Merton, monge cisterciense, fez uma pergunta contundente em sua obra Sementes de Destruição: “Quais são, realmente, as nossas intenções?” O que as grandes corporações pretendem? Qual o destino da humanidade, o que estamos fazendo aqui? Perguntamos. O que podemos fazer diante do suicídio das nações com tamanho uso diabólico de poderes prontos a destruir inimigos?
        O ser humano e toda a natureza é coisa secundária, só contam enquanto lucro ou mercadoria de valor econômico e financeiro. O ser humano de carne e ossos é descartável, ferramenta inútil se não dá lucro. Visa-se é o mercado; ferro, laranja, ouro ou soja, agrotóxico ou farmacoquímica.
        Não se pode perder a esperança nos valores primordiais da vida humana, e de toda a criação por um mundo justo, solidário e igualitário.
        Dialogar é a saída; conversar, trocar, tentar entender com o coração. Aceitar o outro sem julgar. Um silêncio de dignidade diante das diferenças. Não temer o outro nem a derrota, mas desejar o encontro, a comunicação afável. Não é utopia, é presença humana, simplesmente, frente ao outro ser humano.
        Transição radical no coração afetivo da humanidade.

 Urania, a deusa da Astronomia.

Martha Pires Ferreira
Domingo, 6 de setembro de 2015, Santa Teresa, RJ. 

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Em defesa da Constituição e do Estado de Direito. NÃO ao Golpe


Tristeza e vergonha de todos que defendem a Constituição e a Democracia - o Estado de Direito. A Presidenta Dilma Rousseff continua governando com o resultado dos votos de aprovação do pedido de Impeachment, ontem, dia 17 de abril de 2016, na Câmara dos Deputados. Impedimento, orquestrado por uma oposição inconformada que perdeu as eleições, ainda terá que ser julgado no Senado. Confiemos na lisura do Senado Federal.
Estamos vivendo uma crise política de profundidade e dimensões imensa. Temos que ter coragem para enfrentarmos este momento histórico gravíssimo em nome do Estado de Direito.
Não houve dolo. Não houve ilegalidade, do governo, apenas atrasos de prestação de serviços. A Presidenta da República Federativa do Brasil, em exercício, não cometeu qualquer crime perante a Lei - Constituição de 1988.
Triste e envergonhada assisti, praticamente, toda a votação na Câmara dos Deputados. Acompanhei, perplexa, o medíocre e baixo nível intelectual de parlamentares, que ao votar, um por um, no Impedimento da Presidenta Dilma Rousseff, bradavam SIM em nome de Deus, da mãe, filhos, esposa, netos, tias, avós e avôs, e mais, de seus eleitores, corrupção e pelo povo clamando nas ruas. Bizarra votação. Hilária. Não se cogitava votar em defesa do cumprimento da Constituição por algum crime imputado à Presidenta Dilma Rousseff. Não estavam ali em defesa de uma causa jurídica, justa, mas sim por postura e argumentos chulos, políticos, da conveniência pessoal e/ou partidária. Lamentável a insignificância dos argumentos, das razões do voto, sem qualquer fundamento jurídico. Sem qualquer consistência bradavam contra Dilma e com apreciações outras fora da questão em sentença. Afinal trata-se de julgar uma causa perante a Constituição; crime que não se consegue caracterizar como improbidade. Se cada um, voto por voto, não pôde provar nada, não havendo fatos, objeto real, de acusação, não podendo se caracterizar nada como crime, votaram em quê? No vazio político e não na substância jurídica.
Os parlamentares, de vários partidos políticos, por afirmar com precisão e argumento o NÃO ao Impeachment ficarão na História do Brasil pela dignidade e bravura em defesa do Estado de Direito e pela Democracia.

 NÃO ao Golpe. 

Martha Pires Ferreira - Advogada, Artistas Plástica 

quinta-feira, 14 de abril de 2016

O incorruptível não pode ser corrompido pelo corruptível!


Advogar é interceder em favor da LEI - defender em juízo - razões e direitos. Normas e ordens garantidas pela Constituição.
Princípio lógico: o corruptível não pode corromper o incorruptível. Daí concluirmos que o incorruptível não será corrompido pelo corruptível. 
A Presidenta Dilma Rousseff incorruptível. 
Logo; NÃO VAI TER GOLPE.

Democracia - Valor Universal - mais enriquecida


 ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

terça-feira, 12 de abril de 2016

Poeta que se fez escondido.

Herbert Timm - (1937 -2016) 

Poeta que se fez anônimo
que se fez escondido 
no silêncio
das inquietudes 
 profundezas

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

domingo, 10 de abril de 2016

Advogando - Em defesa intransigente da Democracia.


Advogando - advoga-se na vida - 10/ abril/2016 
Em defesa intransigente da Democracia - Dignidade para com a Constituição de 1988.
clicar para ler
Impedimento da Presidente Dilma Rousseff - legitimamente eleita por mais de 54 milhões de brasileiros – é inconcebível.
Fala-se de “Pedaladas fiscais”- usos de recursos administrativos. Em qualquer sociedade civil ou pública articula-se, contabiliza-se, não agindo criminalmente – são arranjos para ajustes que ocorrem em todas as administrações. São ocorrências habituais sem ônus reais. Não é crime de responsabilidade passível de deslize fiscal. Não é probidade administrativa, seja em instituição privada ou pública.
A Presidenta da República Federativa do Brasil, em seu direito de governar, ao que consta, não cometeu qualquer crime pessoal; seja administrativo ou em qualquer outra instância. Impedi-la de governar é ignorar, transgredir, a Constituição.
Não há necessidade de tamanha desinteligência, falta de bom senso e destempero intelectual acusar um governo, legítimo, sem bases jurídicas, de “pedaladas fiscais como crime pessoal, administrativo”.
O que está ocorrendo na Câmara dos Deputados, e, numa ala da sociedade civil, é simples a notória má fé; ganância pessoal com anseios de poderes desmedidos, desprezo crasso pelas conquistas sociais, nos últimos anos, por uma sociedade mais igualitária, humana e justa.
As “zelites” - que não são pessoas realmente de elite estrutural; tradição ética, moral e refinamento cultural – estas “zelites purpurinas” comem mortadela escondido na cozinha e exibem em público e aos seus pares variados defumados importados, sorrindo com ares de conquistada soberba.
Advogar é interceder em favor da Lei defendendo em juízo; razões e direitos - garantidos pela Constituição. Incriminar a Presidenta Dilma Rousseff é inconstitucional. Isso é Golpe.
Qualquer cidadão/ã deveria conhecer as Leis pessoais e sociais garantidas pela Constituição de 1988.

Soberania Constitucional, já!
____________________________________

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Reflexões ou Carta aos Políticos

Reflexões - 2005 - 2007 - 2016

[ Escrevi este texto em 2005 e enviei para amigos/as. Aqui publicado em setembro de 2007 - O filme é o mesmo / Martha Pires Ferreira ] 
Até quando teremos que suportar estes tiroteios partidários, estas posturas infantis de homens que deveriam zelar com dignidade a gestão da coisa pública? Onde o respeito pela verdade factual?
Sempre tivemos, e temos, grandes figuras na vida cultural brasileira. São pessoas que nos honram e nos engrandecem.
Desde a Origem dos Direitos dos Povos, levantar falso testemunho, espalhar boatos ou calúnias, eram inverdades tidas como crimes de responsabilidade penal: A calúnia era maldita neste e noutro mundo, ou então, que fosse precipitado na Rocha Tarpeia aquele que prestou falso testemunho. Ouvíamos na Faculdade de Direito, UEG, nos anos 60, o grande jurista, criminalista, Prof. Dr. Roberto Lyra se referindo ao Direito: Falsi teste pejores sunt latronis [as falsas testemunhas são piores que os ladrões].
Não menos constrangedor é observar figurantes políticos, ou não, expor seus rostos na mídia, inescrupulosamente, como se nada tivessem feito de evidentes improbidades. Que qualquer um que cuide das coisas públicas tenha dignidade e competência em suas obrigações parlamentares.
Não são poucos os Homens e as Mulheres que lutam por uma vida justa e prazerosa, e, são eles que sustentam com seus corpos e emoções a base econômica deste Brasil plural, criativo e naturalmente solícito. Heróis do dia-a-dia que são obrigados a votar. Estamos nos referindo aqui aos que trabalham, aos que sustentam os cofres públicos e toda a nação com a responsabilidade e o suor cotidiano.
Por quase vinte anos de lutas e reconquistas de direitos constitucionais e liberdades adquiridas, não merecemos este quadro Goyniano. Quanta degradação e baixeza no exercício e na prática da política! Temos tudo para vivermos bem neste imenso Brasil, com solidariedade, realizando o sonho de ver a justiça social uma realidade. A corrupção é uma doença de conduta moral que precisa ser tratada. Doença que por vezes vem da tradição familiar e/ou da sede desmedida de elevação social a qualquer preço. A religião do dinheiro, e dos podres poderes, é índice facilitador para esta doença se manifestar - as suas orações se fazem nos Templos do Consumo.
Precisamos é de objetivos sólidos e viáveis. Briga de classe e poderes vãos, é atraso de vida para um povo se realizar plenamente. “Os senhores da Casa Grande e seus herdeiros” quanto mais se esbravejam mais ridículos e inoperantes vão ficando. Na era da informática, dos anseios de comunicação, os detentores das manipulações “secretas” estão perdendo seus espaços; poder de controle.
O mundo do mercado globalizado se degradará por si mesmo ou será humanizado em razão da fraternidade e da liberdade sem exclusões. Exclui-se quem exclui. Todos nós fazemos parte da grandeza e da beleza do universo, todos nós temos que ter responsabilidade e comprometimento diante de cada um de nós e da Criação. Nós somos a Natureza, a Natureza se revela em nós a cada dia.
Os jovens brasileiros, e do mundo inteiro, que vivem ao lado das elites urbanas, têm seus sonhos, suas utopias, não aceitam viver em camisa-de-força e/ou em carros blindados. Reivindicam as liberdades; eles formam imensa potência criadora e formadora de idéias novas para outro Brasil possível neste novo milênio. São os jovens da Revolução Tecnológica, séc. XXI.
Será que não bastam as tensões vividas no Planeta Terra neste período de transição? Basta o imenso esforço por não permitir que o império da devastação e desrespeito às leis da Natureza vigore. Estamos querendo o quê? O desmonte galopante da cultura ocidental já não é o suficiente para repensarmos as arrogâncias das teorias dos conhecimentos? Tudo caindo por terra, e, velozmente. Não é tempo de individualismos, mas de partilha. Um mundo novo precisa de raízes novas. Vivemos o confronto entre os “mais fortes” e os “mais frágeis”. Caminhamos para a construção de uma nova civilização. Na fricção e na troca de saberes e experiências vividas vamos encontrando as respostas e os horizontes possíveis. Todos nós estamos convidados e incluídos, na construção de um mundo em transição de valores. Estamos vivendo o confronto de opostos; ricos e pobres, intelectuais e gente simples, orientais e ocidentais, hemisférios norte e sul.
Quem se dá ao direito de se expor em sensações, em acusações, não resguarda sua própria imagem. Deveria antes intuir as várias vertentes das conseqüências de seus atos. Na curva do mundo a verdade, quase sempre, se revela como um sol brilhante. Questão de tempo.
O corte no caminho dos acontecimentos político/econômico viabiliza saídas mais sábias nas altíssimas taxas de juros (não comparáveis às tão torpes taxas na travessia do milênio). Esperamos juros mais civilizados.
A democracia da inteligência deve servir ao bem comum. Jamais dar espaços ao fundamentalismo perverso político/religioso, revestido de apanágios éticos e morais.
Precisamos de um crescimento progressista e proporcional, de baixo para cima, em todos os setores da nossa riquíssima e bela nação - educação, saúde, comércio, indústria, ciência e tecnologia. E Felicidade.

Neste início de milênio, um Quantum de silêncio interior nos fará precioso bem. Precisamos enxergar e agir com alteridade, vivermos como seres humanos. Sendo humanos daremos um salto qualitativo na História da civilização.

Rio de Janeiro, 20 de novembro de 2005

sábado, 2 de abril de 2016

Contos de Fada como Processo Terapêutico

Queridos/as internautas
 vamos sonhar e vivenciar a beleza da Vida
em mundos encantadores e prazerosos
Coloquem na agenda
Dia 9 de abril - sábado próximo
das 10h30 às 12h30
Local: Casa das Palmeiras
Rua Sorocaba, 800 - Botafogo - RJ


Experiências vividas IPUB UFRJ -1988 – 1992
Casa das Palmeiras – 1986 – 1992 / 2006 -2010.
Serão apresentados dois contos de tradição
 Abordagem simbólica e terapêutica:
 A moça e seus três maridos – persa
 O Camponês e a Serpente – russo
Voltado para adultos - R$ 15,00 para a instituição 
...e seremos felizes para sempre.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~