quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Mahatma Gandhi - o libertário pacifista - olhar de Thomas Merton.

        Sim, gosto de viajar no mundo de sábios seres humanos. Li, pela manhã, em Sementes de Destruição, obra de Thomas Merton, 1966/ Ed. Vozes, pg. 230 -
Um tributo a Gandhi.
        Palavras de GANDHI: “Jesus morreu em vão, se Ele não nos pode ensinar todo o sentido da vida através da eterna lei do amor”. Ainda na mesma página é MERTON quem nos diz: “O que se denomina atualmente ’civilização’ deve aprender a provar suas reivindicações pela capacidade de estabelecer um clima de paz e de honestidade em suas desavenças, a fim de se preocupar realmente com a JUSTIÇA ENTRE OS POVOS (grifo meu) que foram vergonhosamente explorados, e com as raças sistematicamente oprimidas, ou do contrário, a preeminência histórica dos poderes existentes lhes será usurpada por meios violentos, causando, quem sabe, um desastre de proporções cósmicas”. Merton se desesperava com a onda de violência, em proporções impensáveis, no mundo chamado “civilizado”.
        Em que avançamos? Caminhamos nas Trevas Obscuras da Noite, sem sentido, sem horizonte, início do século XXI. Determinação viável é caminharmos resistentes à degradação civilizatória com a Tocha da Plena Atenção, Acesa. Resistir à degradação.

        Gandhi possuía imensa admiração por Tolstoi, e, como Tolstoi, resistiu ao Mal. Sempre fiel aos seus princípios internos, a mais radical, sem olhar as consequências, nos deixou exemplo de que é possível conquistar direitos humanos e justiça social sem violência, mas com a postura firme de palavras, atitudes e gestos de dignidade. Caminhemos, caminhemos resistentes por um mundo possível; igualitário, justo e Humano.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

terça-feira, 29 de agosto de 2017

NISE, O Coração da Loucura - Filme na Casa das Palmeiras




















Exibição do filme
Nise - O Coração da Loucura,
seguido de conversa informal o diretor
 Roberto Berliner.

Entrada Franca.
Dia 2 Setembro - SÁBADO – 16h30
Casa das Palmeiras.
Rua Sorocaba, 800 - Botafogo
****
Visitem - http://casadaspalmeiras.blogspot.com
Haverá venda de DVD  

sábado, 26 de agosto de 2017

Flores do Bem - Flores

Sempre a beleza das flores, presentes da Mãe Natureza
As últimas filhinhas que minhas mãos engendraram 
Flores exóticas - bico de pena e aquarela, 2017
 





Flor solar 
~~~~
manifestação
do 
divino
se faz 
presente
em nós.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Poeta do Amor - Jesus de Nazaré - inquietante transgressor

             Cristo Pantocrator - Santa Sophia, séc. XIII - mosaico. Istambul                                                      
          Tempo de tempestades, horrores e trevas com cheiro forte de podres poderes das megas corporações, públicas e privadas degradando valores essenciais do bem comum do Planeta Terra. Reflexiva eu me inclino ao Poeta do Amor, Jesus de Nazaré; 2.000 anos de entendimento e acolhida, assim como de distorção, desinteresse ou incompreensão sobre Sua pessoa compassiva, revolucionária, libertária.
          Afinal quem foi este Homem que desafiou os costumes e hábitos de seu tempo, e, as Leis dos poderosos? Nada piegas devocional ou homem morno, transgredia os modelos de conduta, sejam familiar ou social. Com postura simples andava com despossuídos e marginais desqualificados. Amor incondicional à humanidade, sem preconceitos, sem descriminações das camadas sociais; acolhia afetuosamente a todos com igualdade, alteridade. Desobediente aos “senhores das leis” caminhava com liberdade plena; ensinando por metáforas e aforismos, curando, conversando, fazendo suas refeições junto a muitas amigas e amigos, em torno do pão, vinho e peixes, estes assados, provavelmente. Pregava nas praças ou sinagogas, não a política dos Césares, mas sim os princípios éticos do coração afetuoso e sensível; não fazer ao outro o que não queremos que nos façam, ou, fazer ao outro aquilo que desejamos que nos façam; normas da tradição judaica. Anunciava o reino do Deus Desconhecido, desde aqui e agora, no nosso cotidiano. Contemplava a natureza em flor e nela a beleza do Sol nascente com seus raios luminosos para todos indistintamente; honrados ou desqualificados, ricos ou pobre, dignos ou covardes, doentes ou saudáveis, mulheres sozinhas ou casadas. Encantava-se com a autenticidade das crianças; exemplo de vida.
          Não usava perfumarias ou joias, não tinha endereço, nem carros de luxo, aviões de guerra ou pistola pendurada no corpo. Não tinha celular, tabletes, nem TV a cabo. Se Jesus, Yeshua em aramaico, lia ou escrevia não exibiu academias, títulos ou condecorações. Sabemos que escreveu no chão: “quem não errou que atire a primeira pedra”. Sabia perdoar porque conhecia as limitações humanas.
          Jesus de Nazaré, o bom pastor, continua a ser procurado e/ou questionado entre operários e agricultores, artistas, vagabundos ou curiosos; nos templos, nas estantes de livros, nas conversas entre pessoas simples, cultas ou intuitivas. Aos céticos ou sedentos de humanidade, e, aos que tem ânsias do divino, da transcendência, o Bom Pastor, jamais, passou despercebido. São incontáveis homens e mulheres que se debruçam para conhecer, entender, escrever ou beber na fonte sobre, o Cristo Cósmico, como dizia o cientista e místico Teilhard de Chardin, o judeu da Palestina - Jesus de Nazaré - o Poeta do Amor. Aquele que viveu a união perfeita do celeste com o terrestre, do divino com o humano.
          Aqui fica apreensão sensível do ser único e profeta da Vida Eterna. O Verbo que se fez humano, habitou entre nós, e se mantém Vida em sua magnitude; Mistério da Fé. Fé que não encontramos nos barbitúricos, estante de livros, drogas sofisticadas nem no uso das armas de fogo ou química. Fé que se abre na beleza do vazio do Amor que tudo contem.
- martha pires ferreira – inverno, agosto de 2017.       
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~                

sábado, 19 de agosto de 2017

Flores do Bem pra compensar a Vida





















Enquanto a banalidade do Mal impera na cabeça e atitudes perversas dos pretensos “donos do mundo”, seguimos a vida sem nos alienarmos, jamais.
Reservo tempo para cuidar do meu arquivo de trabalhos com as Artes.  Quanta coisa! Revendo meus desenhos, observo inocência ou desejo de pureza gestual nos meus traço bico de pena e a aquarela. Artista é assim, nem sabe por que exatamente faz, nem bem tudo o que já fez. Cria por necessidade, prazer ou impulsão interior; as mãos engendram o que a imaginação impõe, revela, surpreende. Criar é ato de liberdade. Reorganizar não é minha sina, mas tento, e, encontro desenhos bem antigos; caixa com desenhos abstratos, geométricos, flores, máquinas, animais, rostos e por aí vai.

Aqui Flores do Bem em várias épocas.
2015


1980
 1972
2012
2016 

 1968 - aquarela
Sempre prazer em desenhar flores
Riquezas do meu jardim interior
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Flores do Bem !



Minhas flores fugiram de casa.

Saíram pelo mundo.
Perdi a direção
Quem não tem gatas caça com flores !
  

Ciclos celestes em quinhentos anos - Astrologia

É bom olharmos os Mapas de Ciclos - recados do Firmamento

Prezados amigos/as estudiosos ou observadores do CÉU ASTROLÓGICO: olhem estes três Mapas Celestes – ciclo de Plutão em Capricórnio e Netuno em Peixes (500 - a cada quinhentos anos, aproximação – aqui umas datas aleatórias; 22/01/052, 5/02/543,28/01/1036 e 4/02/1524, mais 21/08/2017). Fazer comparações, tendo em vista aquele período na História da Civilização e acontecimentos posteriores; Novos paradigmas. Travessia radical em valores e visão de mundo. Bom ver a data de hoje 14 /8/2017. Mapas pontuais, destes ciclos, apontam que estamos, na realidade, entrando numa Nova Era da Humanidade. E tudo se fará com radicais mudanças, com sacrifícios a preços altos. E desejamos que seja para saltos mais elevados de consciência, entendimento, fraternidade participativa; o BEM sobrepujando, excedendo em valores sobre o Mal (Trevas em que estamos vivendo num mundo de desigualdade inconcebível) Resistir ao Mal e trabalhar no sentido do Bem comum igualitário, sem excludências. Respeitar os direitos de cada um. Acreditar na Humanidade, em sua capacidade de sermos afetuosos e solidários como espécie humana. Sem temores frente aos fascistas, nazistas, capitalistas ou comunistas decadentes; mesquinhos agarrados em suas ideias fundamentalistas, posses materiais e sensações vazias. Acredito na convergência do Amor Fraterno, e, esperança no coração amargo dos insensíveis. Insisto na felicidade humana para todos indistintamente.
Mapa do Céu -  22 janeiro do ano 52 da era cristã


Fevereiro de 1524
Lua Nova 21/22 de agosto de 2017
Eclipse do Sol não será visto aqui no Rio de Janeiro

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Esplendor da Lua Cheia


Foto nesta madrugada - A beleza lunar não pediu licença,
 graciosa foi invadindo meu quarto.

Lua Cheia, hoje, 7 de agosto às 15h11.
- Eclipse parcial da Lua -
Este fenômeno estava previsto para ser visível em Portugal em especial.
Eclipse parcial da Lua - Isto acontece quando estão em alinhamento próximo - o Sol, a Terra e a Lua.   
 Em Tóquio 3h11 da madrugada.

 Eixo - Leão - SOL e Aquário - LUA.

domingo, 6 de agosto de 2017

Flores do Bem - poesia lunar

       Sou visceralmente solar, mas foi a Lua quem me acordou nesta madrugada com sua poesia luminosa invadindo minha janela e me dizendo que amanhã, dia 7, ela estará plena da potência do Sol.
       O mundo relativo, nosso cotidiano, é muito insignificante diante da grandeza do Firmamento com tanta beleza e mistério.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

sábado, 5 de agosto de 2017

Meu bom aceno aos Bispos do Brasil.

Flores do Bem - Reflexões 

        Fico orgulhosa em ler e acompanhar a posição fraterna e solidária dos Bispos do Brasil – CNBB - sobre o nosso povo brasileiro tão desqualificado e marginalizado, em particular a partir destes anos de 2016 e 2017, mais diretamente. Bispos corajosos e combatentes mostram enfrentar a vida vencendo qualquer medo em defesa do bem comum – “Temos defendido sempre a importância da mobilização popular. Queremos defender esse direito. É importante a mobilização popular. A saída da crise não passa só pelo Congresso ou pelo governo, ela passa pelas ruas”.
        Os políticos, empresários e homens/mulheres dependentes e envolvidos nos jogos do Estado e quaisquer Poderes precisam parar para pensar e colocar-se como pessoas capazes de falar, comunicar e chegar mesmo a um entendimento comum que possa beneficiar diretamente a todos. A todos sem excludências, e não beneficiar apenas a uma ínfima parcela da sociedade. 
Caravaggio, 1608 (?) Nápoles - Sete Obras de Misericórdia
        Estamos numa perigosa travessia da História da Humanidade. Impreterivelmente todos estarão envolvidos; cidadãos de quaisquer classes sociais ou saberes culturais.  Todos envolvidos no mesmo barco terão que encontrar os pontos convergentes de entendimento para não se autodestruírem, fatalmente, por abusos de poderes, frieza emocional, descaso e indiferença, egoísmo e falta de visão comum.
        Estamos no século XXI, um novo paradigma no horizonte das raças, anseio de felicidade, cultura, e realizações pessoais. A Humanidade não recua, ela avança proporcional e progressiva no processo da sua natureza. As conquistas dos séculos XVIII, XIX e XX não admitem retrocessos; liberdade, igualdade, fraternidade. Os donos das grandes fortunas acumuladas terão que enfrentar a poderosa frente de massa humana, cada dia, mais consciente de suas conquistas e direitos adquiridos. Temos que ter utopias possíveis caminhando nesta sociedade marginalizada que se desestrutura e se desorganiza escandalosamente aos nossos olhos. Trevas e sabor da entropia em anseios de mudança.
        Sede de liberdade e expansão da consciência a níveis mais elevados. Isto é possível. Caminhemos.

-----  martha pires ferreira, tarde de 5/08/2017, rio de janeiro.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Reflexões no face book

Postagens que coloquei no Face book estes dias
Importante na VIDA não é questão de LER ou o que se lê e sim de PENSAR, de SENTIR, de AMAR.
E AMAR é desejar e fazer o BEM, incondicionalmente é fim absoluto em si mesmo.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Reflexões - Lendo sobre o Antigo Oriente Médio.
Túmulo real de Ur, meados do 3º milênio a. C. – Museu de Bagdá (? - estava lá no Musseu) - Carneiro e Árvore da Vida.
----------
Para que me ocupar com Face book? Obter informações? Passar ideias e valores? Transmitir afetos, pensamentos ou brincar um pouco? Arte e cultura? Opiniões sociais e políticas? Contestar sobre injustiças sociais e políticas públicas? Reencontrar amizades? Fazer outras? Acordei me questionando no tempo. A preciosidade do Tempo.
Desafetos públicos e grosseiros nos levam a quê? Abri algum horizonte? Protestar com ódio é instrumento eficaz a nos enriquecer diante da verdade? E o que é a Verdade, a Justiça, a Dignidade pessoal? Observações vagas nada servem. Prefiro o Silêncio, a beleza do Silêncio com letra maiúscula.
Possuo uma rica biblioteca que iniciei aos meus 13 anos. Nela faço viagens. Por alguns dias me vi mergulhada em leituras e iconografias sobre a alta Idade Média e sua fatal decadência. Lá atrás, bem antes da Renascença e do Feudalismo do séc. XVIII. Nada mudou muito das frivolidades, injustiças sociais, ganância e desamor daquelas épocas em paralelo com a alta burguesia, de hoje, tecendo só banalidades; drogas, sexo sem doçura, voos de avião, celulares e jantares. Meio eremita que sou, mergulhei no doce e rebelde Jesus de Nazaré e minhas intuições sobre o Absoluto, o eterno.
Parei respirando com pausa, e, caminhando ao Sol, retornei ao relativo, ao chão dos mortais, a Terra Mãe Natureza. Prossegui, e, retomei os gregos com Heráclito, Sócrates e Platão. Recuei novamente. Andei pra trás na história para, novamente, caminhar pela Mesopotâmia – os babilônios, grandes observadores do Firmamento, ciclo anual dos astros, inicialmente, se ocuparam das observações dos fenômenos meteorológicos e atmosféricos.
Assim estou, cansada das balelas do mundo atual, e, porque o poeta Manuel Bandeira não me levou com ele para Pasárgada... rrss.
A Vida é Bela e majestosa! Vivemos no Cosmo.